TRANSPORTE DE PASSAGEIROS

O usuário do Metrô ao entrar numa estação para tomar o trem e realizar a sua viagem vai encontrar ao longo de todo o trajeto uma série de dispositivos mecânicos, eletrônicos e eletromecânicos destinados não só a facilitar a sua vida, proporcionando-lhe conforto, rapidez e segurança, como também a dos empregados do corpo operativo da empresa que trabalham monitorando e controlando o funcionamento desses dispositivos.

Alguns desses dispositivos são simples e localizados num determinado ponto, visíveis aos olhos do usuário.

Porém outros são mais complexos e podem estar distribuídos por toda a área da estação, junto aos trilhos, nos túneis, nos pátios onde os trens são estacionados e recebem manutenção, dentro dos próprios trens e no Centro de Controle Operacional, a partir do qual todas as operações são monitoradas e controladas.

A maioria deles não é percebida pelo usuário, mas de alguma forma ele sente sua presença pela ordem e precisão com que as operações acontecem. Esses dispositivos podem estar operando de forma isolada ou integrada entre si, porém cada um deles tem sua função específica e por isso mesmo constitui um sistema individualizado.

Vejamos como esses Sistemas participam da vida do usuário dentro do Metrô de São Paulo.

Escada rolante Metrô

Logo ao entrar na estação ele poderá estar se utilizando do Sistema Escada Rolante ou então, se ele for um portador de deficiência, do Sistema Elevador para Deficiente.

Em seguida ele já vai percebendo que mesmo estando num ambiente sem luz natural o Sistema de Iluminação é bom e discreto. Se coincidir de estar ocorrendo alguma anormalidade nos serviços ele estará sendo informado através do meio de comunicação por voz conhecido como Sistema de Sonorização.


Após adquirir seu bilhete ele irá habilitar um bloqueio do Sistema de Controle de Arrecadação e de passageiros para poder chegar até a área de embarque.

Poderá utilizar-se mais uma vez do Sistema Escada Rolante e, se prestar atenção, poderá perceber uma câmara do Sistema de Circuito Fechado de TV em algum ponto no teto, levando imagens ao Sistema de Supervisão e Controle Local, onde o supervisor da estação estará sendo informado imediatamente de qualquer irregularidade na escada.

Sala de monitoramento

Ao nível do mezanino, em uma sala toda envidraçada, alguns operadores da estação estarão concentrados sobre Painéis e Monitores de Vídeo, do Sistema de Supervisão e Controle Local, supervisionando o Estado dos Sistemas já apresentados e de outros que, ainda que não perceptíveis ao usuário, têm a mesma importância no sentido de assegurar o seu conforto, rapidez e segurança.

São telefones, rádios, cabos de transmissão, relógios, equipamentos do Sistema de Ventilação dos túneis; Sistema de Alimentação Elétrica (que fornece a energia para movimentar os trens e fazer funcionar todos os demais sistemas); Sistema de Sinalização (que garante de forma automática a segurança da movimentação e a própria condução dos trens), e os próprios trens, do Sistema Material Rodante.


E como um grande organismo vivo que é, o Metrô tem também um cérebro central localizado no Centro de Controle Operacional, a partir do qual o Sistema de Supervisão e Controle Centralizado, constituído por Sistemas de Computadores, Painéis, Monitores de Vídeo e Sistemas de Rádio e Telefonia, supervisiona e controla todas as operações do Metrô.

Sistemas de freios; Sistema de portas; Sistema de controle automático; Sistema de ventilação; Sistema de iluminação; Sistema de rádio.

Como podemos ver, os sistemas se encontram em toda parte, sem eles seria impossível o Metrô funcionar.