ELEVADO

O METRÔ ELEVADO

Assim como nas estruturas de superfície, a construção de elevados causa grande impacto à paisagem urbana, principalmente na de regiões com alto grau de adensamento.

PARA QUE AS INTERFERÊNCIAS NO CONTEXTO URBANO SEJAM MINIMIZADAS, É FUNDAMENTAL APLICAR TECNOLOGIA DE PONTA COM RELAÇÃO:

  • 1

    Métodos construtivos, encurtando os prazos de execução;

  • 2

    Material rodante, permitindo a fabricação de trens mais silenciosos com carros menores e mais leves;

  • 3

    Tratamento da via permanente, prevenindo a propagação de ruídos e vibrações.



Quando o traçado da linha de metrô elevado utiliza faixas desocupadas ou avenidas com largura superior a 40 metros, os resultados obtidos são melhores, por ser guardada uma distância razoável das fachadas de edifícios, minimizando assim o desconforto da propagação de ruídos.

Nas vias elevadas, as maiores dificuldades decorrem das condições topográficas. O material rodante utilizado, atualmente operando com rampas máximas de 4% e raios de curvas limitados, não permite que a estrutura se adapte a topografias muito acidentadas, o que, em muitos casos, inviabiliza essa alternativa.

PARA AS ESTRUTURAS EXISTEM 3 OPÇÕES:
  • 1

    Metálica.

  • 2

    Concreto moldado in loco.

  • 3

    Concreto pré-moldado.

Construção Metrô Elevado

No caso de concreto pré-moldado, há dificuldades no transporte das peças e em se conseguir grandes áreas para a instalação de canteiros, com o inconveniente da propagação de ruídos durante a operação. As estruturas metálicas não são recomendadas devido à grande propagação de ruídos que provocam; a menos que seja feito um tratamento adequado da via permanente. Assim, na maioria dos casos, o que mais se recomenda é o concreto moldado in loco.