NOTÍCIAS

Ciclistas e Diretoria do Metrô se reúnem para discutir e propor soluções para facilitar o trânsito de bicicletas nas estações

Integrantes da "Cicloliga" (Liga de Ciclistas da Cidade de São Paulo), formada por grupos de cicloativistas como "Bike Anjo", "Coletivas", "Coletivo Cru" e "Vá de Bike", reuniram-se com o presidente do Metrô, Sérgio Avelleda, na manhã desta terça-feira (7/2), na sede da empresa, no centro - SP.

Na ocasião, os ciclistas entregaram ao dirigente uma "carta aberta" com sugestões para o transporte de bicicletas nas escadas fixas e rolantes das estações. Parte dessa demanda começou a ser atendida no último sábado (4/2), com a liberação das bikes, em regime de testes, pelo Metrô, CPTM e EMTU somente no sentido de subidas das escadas rolantes.

Outras demandas também foram discutidas, como o acesso de bicicletas dobráveis, hoje permitido somente com as mesmas embaladas em capa própria, e um estudo para implantação de calhas nas escadas fixas para facilitar a movimentação das bikes pelos ciclistas. Segundo o diretor de operações do Metrô, Mário Fioratti, também presente à reunião, a Companhia estudará os dois casos. "Precisamos evoluir nesta questão e estamos aprendendo. O conhecimento dos ciclistas está se somando ao nosso conhecimento operacional. Estamos na vanguarda dessas mudanças e já evoluímos, mas isso não significa que acabou por aqui", explicou.

Sérgio Avelleda sugeriu que o grupo de ciclistas se reúna com os técnicos da área de projeto do Metrô, para que as novas estações já contemplem soluções para facilitar o trânsito de bicicletas. "O ideal é termos elevadores dimensionados para as bicicletas, por isso vamos considerar equipamentos maiores nos novos projetos. Nenhuma escada é amiga da bicicleta. O que estamos fazendo são adaptações para facilitar o transporte", disse.

O presidente do Metrô também adiantou que está contratando projeto funcional para estender a atual ciclovia "Caminho Verde", com 12,2 km entre Corinthians-Itaquera e Tatuapé, até o Parque Dom Pedro. "Vamos contratar o funcional, depois o básico. Neste ano não dá para começar a obra, mas pretendemos entregá-la até 2014", revelou.

"Temos uma boa vontade imensa com os ciclistas, pois acreditamos que a solução para a mobilidade é a integração entre os modais, e a bicicleta é fundamental nesse processo", disse Avelleda.