NOTÍCIAS

06/06/2014 - JULGAMENTO SOBRE LEGALIDADE DA GREVE SERÁ FEITO NESTE DOMINGO A PEDIDO DO METRÔ

Atendendo à solicitação do Metrô, foi antecipada pelo TRT, para o próximo domingo (8/6), às 10h, a audiência que julgará quatro processos: dois dissídios coletivos de greve (ajuizados pelo Ministério Público do Trabalho e pelo Metrô), um dissídio econômico (Metrô) e uma liminar de funcionamento do sistema metroviário (Metrô). A medida é uma tentativa da Companhia para encerrar a greve o mais rapidamente possível e devolver o direito de ir e vir aos 4,6 milhões de usuários que utilizam o sistema metroviário diariamente.

Em uma demonstração de crueldade com os que utilizam o Metrô e em total desrespeito à Justiça do Trabalho, o Sindicato dos Metroviários mantém a paralisação iniciada na última quinta-feira, sem cumprir minimamente nenhuma das ordens da Justiça. Além disso, na audiência de conciliação desta tarde, o sindicato não apresentou qualquer novidade em relação às pautas anteriores, apesar de ser o solicitante da audiência. Demonstração de que a intenção dos sindicalistas é manter a situação de desrespeito ao cidadão e à Justiça. 

A decisão sobre o reajuste está nas mãos do TRT. Ou seja, a manutenção da greve é inútil para a negociação. 

Justiça mantém determinação de funcionamento do Metrô

O Núcleo de Conciliação do Tribunal Regional do Trabalho manteve, a liminar que determina a manutenção de 100% do funcionamento do Metrô nos horários de pico (das 6h às 9h e das 16h às 19h) e de 70% nos demais horários de operação. O descumprimento da ordem judicial culminará em aplicação de multa diária de R$ 100.000,00.  

Negociação

Em diversas reuniões de conciliação realizadas no Tribunal Regional do Trabalho ao longo do último mês, o Metrô fez propostas à categoria. A última proposta apresenta e mantida hoje pela Companhia resulta em ganhos acima de 10% para a categoria.

  • Reajuste salarial de 8,70%
  • Vale-alimentação de R$ 290,00 e cesta de natal no mesmo valor
  • Vale-refeição de R$ 699,16

Essa proposta, bem acima da inflação apurada (5,2% segundo o IPC-FIPE), representa aumento entre 10,61% e 13,33% na remuneração dos metroviários.

Além disso, a categoria já recebe anualmente participação nos lucros e/ou resultados da Companhia. Em 2013, o piso dessa participação foi de 4.471,88.

Operação do sistema

Desde as 5h30 a Linha 5-Lilás iniciou sua operação normal em toda a sua extensão, entre as estações Capão Redondo e Largo Treze.

Às 7h00, a Linha 2-Verde começou a operar de Paraíso a Clínicas. Às 8h30, a operação foi estendida até Ana Rosa. O último trecho que começou a operar foi Sumaré a Vila Madalena, a partir das 9h42;

Às 7h08 foi iniciada a operação parcial da linha 1-Azul, entre as estações Paraíso e Luz (posteriormente, a partir das 8h30, o serviço foi ampliado e passou a atender também as estações Ana Rosa até Luz). À tarde, às 15h55, abriram as estações Vila Mariana, Santa Cruz, Praça da Árvore e Saúde;

A Linha 3-Vermelha iniciou às 7h13, entre Bresser e Santa Cecília (a partir das 9h48, passando a atender também a estação Marechal Deodoro).

A Linha 4-Amarela, operada pela iniciativa privada, manteve funcionamento normal desde as 4h40.

A operação comercial de hoje será encerrada, excepcionalmente, às 23 horas, com exceção da Linha 4-Amarela.

O plano de contingência adotado utiliza toda a estrutura existente: a operacional, composta por supervisores e gerentes, e também o pessoal administrativo, em nível gerencial, que vai às estações vender bilhetes e auxiliar os usuários. Trata-se de um grupo que está preparado para atuar nesses momentos. Quem opera os trens são pessoas qualificadas, que trabalham na área de operação, ex-operadores, instrutores, monitores, pessoas que dão treinamento e que lidam com a operação. A operação neste momento é reduzida para que o sistema possa operar com segurança.