POESIA NO METRÔ

MÁRIO DE SÁ CARNEIRO

MÁRIO DE SÁ CARNEIRO

(SEM TÍTULO)

Eu não sou eu nem sou o outro,
Sou qualquer coisa de intermédio:
Pilar da ponte de tédio
Que vai de mim para o Outro.