PROGRAMAÇÃO DA LINHA DA CULTURA

CARNAVAL DE PONTA A PONTA

CARNAVAL DE PONTA A PONTA
ESTAÇÃO PARAÍSO – 10 a 28

A exposição “Carnaval de Ponta a Ponta” é um projeto dos amigos Jacques Royzen e Armando Bruck. São 20 fotos selecionadas em mais de 100.000, feitas nos últimos cinco anos, que levam o visitante para além da pista do sambódromo. A mostra traz um pouco das festas nas quadras, nas concentrações, nos entornos e até nos cemitérios dos carros alegóricos.
O que mais motiva os fotógrafos, é a emoção das pessoas que desfilam, assistem e trabalham no carnaval.

Fotógrafo: Jacques Royzen / Armando Bruck - www.getyourphoto.com.br


Legenda: Exposições Apresentação Parceria com Museus Vitrines

VISÕES DE PARATY

A exposição fotográfica mostra facetas e detalhes da histórica cidade de Paraty, no litoral sul do Rio de Janeiro que completou, em 2017, seus 350 anos de emancipação.
Durante todo o período colonial, foi o mais importante porto exportador de ouro do Brasil.
Após este período, sua população diminuiu e a cidade pôde ficar “congelada” no tempo, com suas construções coloniais inteiramente preservadas. E é isso que se vê em seu Centro Histórico, uma cidade inteira onde não se permite o acesso de veículos motorizados e nos faz sentir viajantes do tempo.

Fotógrafo: Eduardo Murgel – www.eduardomurgelfotografia.com.br
Apoio: Estúdio Rogério Bucci
Patrocínio: Villas de Paraty / Caborê


ACERVO AVENTUREBOX: VIDA EM MOVIMENTO

A exposição "Acervo AventureBox: Vida em Movimento" retrata o estilo de vida dos praticantes de atividades de aventura na natureza, por meio das lentes dos membros da plataforma colaborativa AventureBox.
Com a curadoria de Fabio Fliess, a mostra reúne fotografias das principais atividades compartilhadas na plataforma: Trekking, Montanhismo, Escalada, Bike, Mergulho e Paraquedismo.
O acervo apresenta ao público a cultura outdoor, que se fundamenta na paixão pela natureza e aventura, com valores ligados a expansão da zona de conforto, saúde física e mental, companheirismo e sustentabilidade.
Destaca-se na mostra o Mínimo Impacto Manifesto que apresenta os valores cultivados pelo AventureBox pela conscientização em respeito à natureza, às pessoas e à vida.
O Brasil, com sua vasta riqueza natural é reconhecido como potencial destino mundial para prática de atividades de aventura em seus diversos ambientes. Este acervo tem como objetivo inspirar a prática consciente de atividades na natureza, convidando os praticantes a vivenciar um contato mais profundo com o todo e consigo mesmo.

Patrocínio: Deuter, Sea To Summit e SPOT
Apoio: World Adventure Society e Outward Bound Brasil
Realização: AventureBox


DESESPIRAIS

A exposição “Desespirais” é composta por mandalas e painéis coloridos criados a partir de resíduos industriais, por meio de tecnologias artesanais desenvolvidas pela artista e designer Carla Tennenbaum ao longo dos últimos 18 anos. As obras se espiralam e desespiralam em formas hipnotizantes, podendo ser montadas, desmontadas e transformadas inúmeras vezes a partir dos mesmos materiais.
As mandalas desta exposição são realizadas a partir de E.V.A. e espuma de poliuretano, materiais não-recicláveis cujos resíduos são comumente encaminhados a aterros sanitários. Essa é a lógica linear dos nossos processos produtivos, que extraem recursos preciosos para serem usados brevemente e descartados. As “Desespirais” apontam para um novo paradigma, em que produtos são gerados desde o princípio pensando nos ciclos futuros de desmontagem e reuso.
Este é o princípio central da proposta de uma Economia Circular, que mantém os materiais em circulação no máximo do seu valor, percebidos como nutrientes técnicos ou biológicos. Neste caso, materiais lineares são transformados em nutrientes artísticos, enchendo nossos olhos de cor e movimento.
Segundo a artista, ”isto não é lixo. Isto é cor. O lixo é um erro de design!”.
Saiba mais em: www.ideiacircular.com e www.desespirais.com

Patrocínio: Rodonaves via ProAC – Programa de Ação Cultural da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo
Realização: Carla Tennenbaum – www.caobaum.com


PÊSSANKAS: tradição milenar da Ucrânia

Na história do povo ucraniano sempre esteve presente uma tradição de colorir ovos na época em que o Sol voltava triunfante, eliminando a neve que cobria a rica terra negra da Ucrânia.
Em escavações arqueológicas, foram encontrados indícios desta arte a mais de 3.000 anos antes de Cristo, sendo que naquela época, eram utilizadas ferramentas muito rústicas para se confeccionar uma pêssanka. A explicação para o interesse do ser humano pelo ovo está no fato do mesmo possuir uma magia incrível, pois de uma forma simples e rude, surgiria à vida.

Patrocínio: Sincoplastic
Apoio: Consulado Honorário Ucrânia/SP e Sociedade Ucraniano-Brasileira Unificação
Realização: Coutinho Eventos


URUBÚ KA'APOR: ADORNOS INDÍGENAS COMO OS USADOS NA ÉPOCA DA FUNDAÇÃO DA CIDADE DE SÃO PAULO

A exposição traz a beleza da arte plumária indígena encanta a todos que à ela tem acesso. A combinação harmoniosa das cores e o incrível trabalho de ajuste das penas fazem jus à denominação de ARTE plumária.
Além da beleza, há que se falar dos significados que têm os adornos. Entre os Wayana a procriação é comparada à técnica da arte plumária. Para eles, as crianças são “feitas” por meio da justaposição de partículas que “tecem” a pele do bebê da mesma forma que uma pena é enfileirada à outra na confecção de um adorno; também acreditam que as coisas e pessoas são parte de quem as criou. Desta forma, a arte plumária é vista como uma extensão do próprio corpo de quem a usa. Já entre os Palikur, as penas caudais e das asas da arara-canga são consideradas como possuidoras de grande poder e são largamente utilizadas em inúmeros objetos a fim de afugentar influências malignas. Os Urubú-Ka’apor, confeccionam um grande cocar de penas amarelas, cujo protótipo lhes teria sido dado pelo herói-criador Maíra como um símbolo do Sol, sendo usado nas festas de nominação masculina. Os Tapirapé criam uma máscara de madeira revestida de penas de arara e gavião, representando o espírito do inimigo morto em combate, usada nas festas que o homenageiam. O magnífico cocar Kroco ti, dos Kayapós, simboliza a própria aldeia. As penas azuis, colocadas no centro, representam a praça, que é o local masculino e público por excelência, enquanto que as penas vermelhas, periféricas, representam o mundo feminino e doméstico. Como acabamento, são colocadas penugens brancas, que representam a floresta.
A mostra conta com a colaboração do Museu Índia Vanuíre, da cidade de Tupã-SP, e o nome escolhido, ainda que de uma etnia do norte do país, homenageia uma das nações indígenas cuja arte plumária é das mais belas.

Curadoria: Beatriz Cruz
Realização: Governo do Estado de São Paulo / Secretaria da Cultura / Secretaria dos Transportes Metropolitanos / Metrô de São Paulo / Museu de Arte Sacra de São Paulo


ARTE DEGENERADA

O Museu Lasar Segall, em parceria com o Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, apresenta a sua atual exposição que tem como objetivo resgatar a história da perseguição à arte moderna empreendida pelos nazistas na Alemanha e suas repercussões no Brasil. A exposição apresenta 25 obras de Lasar Segall que fizeram parte de coleções de museus públicos alemães e foram confiscadas e rotuladas como “arte degenerada” quando os nazistas assumiram o poder em 1933. Nesta classificação estavam incluídas obras de vanguarda e modernas produzidas por artistas considerados injustamente como doentios ou perigosos em função de seus ideais estéticos, suas convicções políticas ou de suas crenças religiosas.
No Brasil, a política cultural nazista provocou repercussões, tanto favoráveis quanto contrárias. Ocorreram casos de violência e perseguição aos artistas modernos, principalmente em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte. Por outro lado, registraram-se inúmeras manifestações contra o fascismo, o nazismo e o integralismo em todo o país no início da década de 1940. Muitos grupos sociais exerceram resistência contra a censura nas artes e posicionaram-se a favor da liberdade de expressão, manifestando-se por meio de passeatas, comícios e exposições.

Realização: Museu Lasar Segall / Metrô de São Paulo


MASP no Metrô

Em 2017, o MASP inaugurou o programa MASP no Metrô para ocupação das vitrines na Estação Trianon-MASP. Nesse período, foram expostas reproduções ou trechos de trabalhos presentes nas exposições abrigadas pelo museu. Para os meses de janeiro e fevereiro de 2018, nas vitrines estarão expostas imagens de Flávio de Carvalho, que documentam a Experiência n.3, de 1956. Os registros fazem parte da exposição Histórias da sexualidade, em cartaz até o dia 14 de fevereiro de 2018.

Realização: MASP - Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand / Metrô de São Paulo


TARJA PRETA

A exposição “Tarja Preta” conta com fotografias inéditas do acervo do Museu e novas imagens produzidas especialmente para a mostra. São personalidades icônicas como Walério Araújo, Luana Hansen, Laerte, Jean Claude Bernadet e outros mais. “Tarja Preta” tem curadoria de Diógenes Moura e textos do escritor e dramaturgo Antônio Bivar.
A mostra individual é da fotógrafa Vania Toledo, importante retratista em atividade desde os anos 70.

Imagens: Vania Toledo - vania.toledo@hotmail.com
Curadoria: Diógenes Moura
Textos: Antônio Bivar
Projeto Gráfico: Cláudio Filus


ARTE – PINTURAS, MONUMENTOS EUROPEUS

A mostra “Arte - Pinturas, Monumentos Europeus” traz em sua essência os movimentos:
- realismo - é uma abordagem para a arte na qual os sujeitos são retratados em uma maneira tão simples;
- fauvismo - obras de arte com cores quentes e as técnicas da pintura moderna;
- surreal - a verdade sensível, da razão, da imaginação, do domínio do sonho, para além do real, interpretação da realidade.
A artista nasceu em Orobó - PE, neta de portugueses logo cedo despertou interesse pelo mundo artístico, com percurso entre Brasil e Europa. Foi em São Paulo, no Atelier Escola de Desenho que concluiu o curso de desenho, pintura e arte. Em 2004 viajou para a Itália, onde frequentou a Accademia de Belle Arti (Roma), aprimorando estilos e técnicas de arte em geral.

Artista: Josefa Maria Santos – josefamariartes@live.com.pt
Apoio: Nascimar Construtora e Incorporadora / OAIB - Oficina de Atores de Igor Bartchewsky / cb-Cidadão Blindado / Fênix Music
Realização: Jôwill Artes Galeria


SALÃO DE ARTES – ASSOCIAÇÃO COMERCIAL

O Salão de Artes, fundado em 1988 pela Distrital Pinheiros da Associação Comercial de São Paulo, evento criado com objetivo de auxiliar os empreendedores das artes plásticas. Há 30 anos realizando exposições em grandes espaços, hoje o Salão de Arte de Pinheiros, recebe artistas de outros Estados. O Salão de Arte de Pinheiros contribui no aspecto econômico, descobre novos talentos e aumenta a classe cultural, gerando empregos e auxiliando os segmentos do comércio e indústria.

Apoio: Preçolandia
Realização: Associação Comercial - Distrital Pinheiros - dpinheiros@acsp.com.br


MINHA VISTA SP

São Paulo é múltipla, intensa, caótica, mas ao mesmo tempo acolhedora. Há um pouco de tudo e todos nessa metrópole. Um mundo em forma de cidade. Cada cidadão a enxerga e convive com ela à sua maneira. No convívio da beleza e do caos há espaço para todas as formas de expressão.
O projeto visa mostrar a cidade de uma maneira não convencional. Na correria do dia a dia não percebemos o quão imensa ela é, e apesar de cinza, existe beleza, alegria e poesia nisso tudo. Minha Vista SP é a forma da fotógrafa Chris Lima de ver, apreciar e agradecer a essa São Paulo tão infinita, a qual todos aprendemos a amar, a conviver e a construir nossos sonhos e vidas.
As fotos foram produzidas no ano de 2015 e mostram uma nova forma de ver a cidade, com seus arranha céus e uma enorme diversidade de estilos arquitetônicos e seus detalhes geralmente não perceptíveis.

Fotógrafa: Chris Rodrigues de Lima - www.chrislima.art.br
Patrocínio: Paulista Foto


VITRINE DE FIGURINOS DE ÓPERAS

Figurino assinado por Fause Haten para a opereta La Belle Hélène, de Jacques Offenbach, utilizado por Gabriela Bueno, no papel de Helena. Sob a regência e direção musical de Cláudio Cruz, e com direção cênica de Caetano Vilela, a montagem estreou no dia 29 de novembro de 2017, no Theatro São Pedro. Completaram o elenco Rodrigo Kenji (Páris), Anderson Barbosa (Calcas), Miguel Nador (Agamemnon), Eduardo Javier Gutiérrez (Menelau), Nathália Serrano (Orestes) Raquel Paulin (Báquide), Fernanda Nagashima (Leena), Luísa Aguilar (Partenis), Wilken Silveira (Aquiles), Daniel Soufer (Ajax I), Lucas Nogueira (Ajax II) e Vinicius Costa (Filocomo).

Apoio: Metrô de São Paulo
Parceria: Theatro São Pedro
Realização: Santa Marcelina – Organização Social de Cultura / EMESP Tom Jobim / Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo


ÁFRICA DO SUL: UM “UAU” A CADA INSTANTE

A mostra sobre a África do Sul, conhecida como Nação Arco-Íris, a África do Sul é, desde o fim do Apartheid, o país onde todas as cores convivem em harmonia. Trata-se de um lugar marcado pela diversidade de origens, raças, línguas, culturas, gastronomia, paisagens, atividades e atrações turísticas. Depois de apenas oito horas de voo entre São Paulo e Joanesburgo, o viajante aterrissa em um país no qual é possível realizar safáris e ver de perto uma infinidade de animais selvagens, curtir belas praias em uma costa com quase três mil quilômetros e dois oceanos, desfrutar de vida cultural vibrante, experimentar vinhos deliciosos e fazer esportes de aventura. Tudo com conforto e infraestrutura de primeiro mundo. Além disso, a moeda sul-africana apresenta uma cotação muito vantajosa para o brasileiro: um real equivale a aproximadamente quatro rands, o que torna a viagem economicamente atraente. A África do Sul é famosa pelos longos dias de sol e pelo clima agradável que dura o ano inteiro. Terra de Nelson Mandela, o país está pronto para receber turistas que buscam a viagem dos sonhos.

Realização: South African Tourism - southafrica.net


MONUMENTOS E MOVIMENTOS DE SÃO PAULO

A Exposição “Monumentos e Movimentos de São Paulo” traz fotos do artista Fausto Ivan. Elas são manipuladas de forma digital e impressas em Fine Art.
Sob curadoria de Rose de Paulo, a exposição traz textos didáticos de cada lugar registrado.

Fotógrafo: Fausto Ivan
Curadoria: Rose de Paulo - rosedepaulo@gmail.com
Realização: RPN - Produções e Eventos


100% DE ESFORÇO ONDE HOUVER 1% de CHANCE

A exposição fotográfica “100% de Esforço Onde Houver 1% de Chance” é uma iniciativa da ABRALE - Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia. A mostra mescla painéis informativos, que falam sobre a importância de hábitos saudáveis e de atenção para os possíveis sinais do câncer, e fotos de pacientes ao lado dos famosos: Tite, Ana Maria Braga, Jô Soares, Mauricio de Sousa, Danilo Gentili, Fábio Porchat, Ludmilla, Danton Mello e Henri Castelli.

 


VITRINE DE IKEBANA

A vitrine, instalada desde 1/12/1993, expõe arranjos de Ikebana produzidos pela Associação de Ikebana do Brasil, que são trocados semanalmente (terça-feira) para acompanhar a durabilidade das plantas.

Realização: Associação de Ikebana do Brasil / Metrô de São Paulo


SÃO PAULO, A ESTAÇÃO DO CARNAVAL

A exposição "São Paulo, A Estação do Carnaval" apresenta a temática da Folia de Momo, por meio de painéis fotográficos com as inúmeras personagens que compõem o cotidiano dos sambistas. É uma homenagem ao trabalho das pessoas que fazem de tudo para o crescimento do samba paulistano. A mostra que também é extensiva a comemoração do aniversário da cidade, traz ao público em geral os mais belos momentos provenientes dos desfiles das escolas de samba e dos blocos carnavalescos da cidade de São Paulo.

Produção: Maurício Coutinho / Mara Porto
Arte: Marcelo Dias
Fotos: Eduardo Schwartzberg / SP Turismo
Patrocínio: Sincoplastic
Realização: Coutinho Eventos - www.coutinhoeventos.com.br


Mostras Fixas
O METRÔ E SEUS BAIRROS. IPIRANGA: O BAIRRO DO GRITO! O METRÔ E SEUS BAIRROS IPIRANGA: O BAIRRO DO GRITO! Estação Alto do Ipiranga Apoio: Adhemir Fogassa Maquetes
Realização: Metrô de São Paulo
O METRÔ E SEUS BAIRROS. SANTO AMARO O METRÔ E SEUS BAIRROS SANTO AMARO Estação Largo Treze Realização: Metrô de São Paulo
O BONDE EM SANTO AMARO O Bonde em Santo Amaro Estação Adolfo Pinheiro Realização: Metrô de São Paulo