PROGRAMAÇÃO DA LINHA DA CULTURA

Jardins da Arara de Lear

Jardins da Arara de Lear
ESTAÇÃO SÉ – 10 a 30

A Arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari) é um verdadeiro tesouro da fauna brasileira. Uma espécie só encontrada no sertão da Bahia. Está em perigo de extinção e uma das principais ameaças é a escassez de alimento provocada pela devastação ambiental de seu habitat, a Caatinga. O “Projeto Jardins da Arara de Lear” trabalha para ampliar as áreas de alimentação da espécie por meio de modelos de desenvolvimento sustentáveis.
Conheça as ações do projeto e saiba como você também pode ajudar a preservar o futuro dessa linda arara sertaneja: www.araradelear.com.br Realização: Associação Jardins da Arara de Lear / Nitro Imagens

Realização: Associação Jardins da Arara de Lear - www.araradelear.com.br / Nitro Imagens


Legenda: Exposições Apresentação Parceria com Museus Vitrines

CIRCO DOS SONHOS

A exposição fotográfica mostra cenas de espetáculos, de personagens, das lonas do “Circo dos Sonhos”, trazendo uma companhia circense genuinamente paulista que há mais de dez anos produz espetáculos de circo sempre com uma temática diferente, mesclando circo com música, dança e teatro.

Realização: Circo dos Sonhos - www.circodossonhos.com


ALCATRAZES “UM REFÚGIO NO MAR DE SÃO PAULO”
ESTAÇÃO CLÍNICAS – 10 a 30

REFÚGIO DE ALCATRAZES

A exposição apresenta as belezas do Refúgio de Alcatrazes, uma unidade de conservação federal localizada no litoral norte de São Paulo.
O local foi criado em 2016 e está sendo aberto em junho de 2018 para a visitação pública com atividades de visita embarcada e mergulho autônomo.
A região guarda uma beleza cênica exuberante, além de grande diversidade de animais e plantas protegidos.
O Refúgio abriga o maior ninhal de aves marinhas do Atlântico Sul, diversas espécies de peixes e mamíferos marinhos.

Patrocínio: SOS Mata Atlântica
Realização: ICMBio Alcatrazes - www.icmbio.gov.br


QUALQUER QUANTIDADE IMENSA DE ALGO
ESTAÇÃO TATUAPÉ – 8 a 30

QUALQUER QUANTIDADE IMENSA DE ALGO

O corpo contínuo de água que alcança a área de 361 milhões de quilômetros quadrados, com profundidades superiores a três mil metros, abriga a maior quantidade de vida não-explorada, além de rios e lagos submersos, a maior cascata do mundo - com 3.505 metros de altura, assim como mais de 20 milhões de toneladas de ouro.
O fotógrafo Marcio Lisa há anos mergulha nesta imensidade, um universo onde os pés podem não alcançar. E com mais de 700 horas de registro em ambiente subaquático, Marcio traz a público matéria-prima do imaginário e igualmente tudo que não é, de fato, azul.
No Dia Mundial dos Oceanos, com a intenção de encorajar soluções de equilíbrio para a vida do planeta e criação de medidas protetivas, a mostra “Qualquer Quantidade Imensa de Algo” reúne imagens capturadas durante percursos extasiantes, mas que infelizmente atravessam as 25 milhões de toneladas de lixo que chegam aos oceanos todos os anos, acompanhadas por outras práticas humanas condenatórias.

Fotógrafo: Marcio Lisa - marciolisa@hotmail.com
Apoio: Sea Shepherd
Expografia e Produção: Casa Goia


50 ANOS DE METRÔ
ESTAÇÃO SÉ – 1 a 30

50 ANOS DE METRÔ

É com muito orgulho que o Metrô completa 50 anos de fundação em 2018, expandindo a sua rede em linhas, quilômetros e estações.
Nesta data especial, queremos dividir essa conquista com as pessoas que fazem parte dessa história.
Pessoas que utilizam o Metrô para estudar, trabalhar, passear.
Pessoas que vão de um ponto a outro da cidade com seus sonhos e esperanças.
Pessoas que continuam escrevendo todos os dias mais um capítulo da nossa história de desafios e sucessos.
Pessoas como você, que dão vida e movimento à cidade de São Paulo!

Realização: Metrô de São Paulo


135 ANOS DE KHALIL GIBRAN
ESTAÇÃO REPÚBLICA – 10 a 30

135 ANOS DE KHALIL GIBRAN

A Associação Cultural Brasil-Líbano tem a satisfação de apresentar a exposição de Khalil Gibran que traz os 135 anos de nascimento de um dos escritores mais lidos e consagrados em todo o mundo, além de líder intelectual, filósofo, poeta e pintor.
Gibran nasceu em 6 de janeiro de 1883, na cidade de Besharré, ao norte do Líbano, região dos milenares Cedros Sagrados, considerada Patrimônio Mundial da Humanidade. O local serviu de inspiração às suas obras e atrai turistas do mundo inteiro. Faleceu em 10 de abril de 1931, em Nova Iorque.
Gibran é o legítimo representante do Líbano, pequeno país em extensão, grandioso por sua história e extremamente importante por sua posição no globo, com elo entre três antigos continentes: Europa, Ásia e África.

Apoio: Governo do Estado de São Paulo / Prefeitura de São Paulo / Gibran National Committee / Gibran Museum
Patrocínio: Correios / Lei de Incentivo a Cultura / Governo Federal
Realização: Associação Cultural Brasil-Líbano - www.libanbylody.com.br


BELEZAS DA HUNGRIA
ESTAÇÃO ALTO DO IPIRANGA – 10 a 30

BELEZASA DA HUNGRIA

A mostra traz um país de beleza fascinante, situado no centro da Europa, cujas paisagens e monumentos oferecem excelentes opções para passeios. Sua capital, Budapeste, está entre as mais visitadas do continente europeu.
A herança histórica de Budapeste chama a atenção de todos os turistas: os prédios suntuosos, um dos parlamentos mais impressionantes do mundo, a maior sinagoga da Europa e o Bairro do Castelo Medieval de Buda guardam histórias lendárias. Os banhos medicinais, mundialmente conhecidos, funcionam há centenas de anos. Seus edíficios, construídos nos tempos do domínio turco, na época neo-renascentista ou de art nouveau, permitem aos visitantes vivenciar mundos há muito extintos.
A terra húngara nos presenteia também com vinhos de primeiríssima qualidade, como o famoso Aszú de Tokaj, apreciado desde a idade média nos ambientes mais refinados do planeta. Também vale a pena degustar os vinhos da região do Lago Balaton, onde se mantém a tradição de cultivo desde o Império Romano.
A Hungria oferece atrativos para todas as idades: festivais artísticos, alta-gastronomia e vida noturna efervescente, responsáveis pelo impulso jovial do país.

Patrocíno: Agência de Turismo da Hungria
Apoio: Consulado Geral da Hungria em São Paulo


A PÉ TAMBÉM É TRANSPORTE
ESTAÇÃO SANTANA – 10 a 30

A PÉ TAMBÉM É TRANSPORTE

O Instituto Corrida Amiga, por meio da exposição "A Pé também é Transporte", busca divulgar e fomentar este fantástico e mais inclusivo meio de transporte: nossos próprios pés.
Dados da mais recente pesquisa origem-destino do Metrô - SP atestam que 33% dos deslocamentos diários são feitos exclusivamente a pé na região metropolitana de São Paulo. Considerando o modo a pé junto ao transporte público coletivo, tornam essa cifra ainda mais representativa, pois supera os 60%.
Os textos de autoria do instituto, ilustrados pelas imagens do fotógrafo Hugo Peroni, apresentam um olhar contundente e artístico sobre a cidade de São Paulo e seus caminhantes. A exposição ressalta esse universo do transporte ativo a fim de quebrar paradigmas e mitos, além de destacar a potência em mover-se a pé e principalmente enaltecer todas suas qualidades e benefícios, desde a melhoria na qualidade de vida com a inserção de atividade física em nossas rotinas até a possibilidade de, ao deixarmos os carros em casa, economizarmos dinheiro, otimizarmos tempo, reduzirmos as emissões de gases poluentes e, consequentemente, melhorarmos a qualidade do ar. “Ir a pé faz bem para a cidade, faz bem para as pessoas!”
O material também contempla a multimodalidade, a utilização de dois ou mais meios de transporte nos deslocamentos das pessoas, com ênfase no transporte público coletivo, no qual a caminhada se combina com metrô, ônibus ou trem.
Sendo assim, a exposição mostra a importância vital do modo a pé nesta metrópole e, portanto, a necessidade de valorizá-lo e afirmar sempre que: “A Pé Também é Transporte!”.

Patrocíno: Instituto Clima e Sociedade - ICS
Realização: Instituto Corrida Amiga - www.corridaamiga.com.br


FUTEBOL CABEÇA
ESTAÇÃO REPÚBLICA – 10 a 30

FUTEBOL CABEÇA

A mostra “Futebol Cabeça” retrata personalidades que pensaram o futebol como elemento da nossa identidade nacional. A linguagem da caricatura (humor gráfico) confere a exposição um caráter lúdico e inusitado que dialoga com a programação de eventos ligados à Copa do Mundo.

Artista Toni D'Agostinho - tonidagostinho@gmail.com
Apoio: Restaurante Planetas / Restaurante Luna di Capri / Rotisserie Little / Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo


DESESPIRAIS
ESTAÇÃO BRÁS – 1 a 30
ESTAÇÃO CLÍNICAS – 1 a 30

DESESPIRAIS

A exposição “Desespirais” é composta por mandalas e painéis coloridos criados a partir de resíduos industriais, por meio de tecnologias artesanais desenvolvidas pela artista e designer Carla Tennenbaum ao longo dos últimos 18 anos. As obras se espiralam e desespiralam em formas hipnotizantes, podendo ser montadas, desmontadas e transformadas inúmeras vezes a partir dos mesmos materiais.
As mandalas desta exposição são realizadas a partir de E.V.A. e espuma de poliuretano, materiais não recicláveis cujos resíduos são comumente encaminhados a aterros sanitários. Essa é a lógica linear dos nossos processos produtivos, que extraem recursos preciosos para serem usados brevemente e descartados. As “Desespirais” apontam para um novo paradigma, em que produtos são gerados desde o princípio pensando nos ciclos futuros de desmontagem e reuso.
Este é o princípio central da proposta de uma Economia Circular, que mantém os materiais em circulação no máximo do seu valor, percebidos como nutrientes técnicos ou biológicos. Neste caso, materiais lineares são transformados em nutrientes artísticos, enchendo nossos olhos de cor e movimento. Segundo a artista, ”isto não é lixo. Isto é cor. O lixo é um erro de design!”.
Saiba mais em: www.ideiacircular.com e www.desespirais.com

Patrocínio: RTE Rodonaves
Realização: Governo do Estado de São Paulo / secretaria de cultura do Estado de São Paulo/ ProacSP - Incentivo à Cultura do Estado de São Paulo / Carla Tennenbaum - www.caobaum.com


A LENDA DOS SEREIOS
ESTAÇÃO SÃO BENTO – 1 a 30

A LENDA DOS SEREIOS

A instalação apresenta esculturas produzidas em homenagem aos trabalhadores da construção civil que perderam a vida construindo pontes e viadutos sobre rios e mares nos centros urbanos.
As peças são confeccionadas com resíduos sólidos (sucatas) de alumínio, plástico e fios eletro-eletrônicos.
Nas construções de pontes e viadutos perderam-se nas águas muitos resíduos de materiais de construção, mas perderam-se principalmente a vida de trabalhadores, tragados pelas águas.
Olokun (senhor das profundezas do mar na cultura Yoruba) e Iara (Deusa que habita os rios na cultura Tupi Guarani) se irritaram com a grande quantidade de dejetos e mortos em suas águas e resolveram proteger seus domínios, criando seres híbridos cujo trabalho é livrar os humanos do flagelo das mortes por acidentes em rios e mares.
Este bando é formado por SEREIOS URBANOS, criados com os corpos dos humanos que perderam-se nos rios e mares, misturados aos materiais de construção civil perdidos nas águas.
Valter Nu, produz e pesquisa arte feita com o descarte da civilização contemporânea. Nas caçambas das grandes cidades o artista busca material para fazer suas obras.
Delas colhe sua matéria prima não orgânica e tece suas criações orgânicas sem o uso de soldas, parafusos ou colas, produzindo assim uma técnica única.

Artista: Valter Nu - www.valternu.site


HERÓIS DO FOGO
ESTAÇÃO PARAÍSO – 10 a 30

HERÓIS DO FOGO

A exposição fotográfica "Heróis do Fogo" apresenta, de forma original e humanista, o cotidiano dos bombeiros. São profissionais que muitas vezes se arriscam em situações complicadas e se dedicam a salvar vidas.
O fotógrafo Alberto Takaoka iniciou o registro das imagens há 10 anos, acompanhando o trabalho dos profissionais em incêndios, acidentes de trânsito, deslizamentos de terra, entre outras árduas ocorrências. Com isso, surgiu a reflexão do que havia por trás dessas pessoas que ficavam trabalhando horas seguidas, em condições nem sempre favoráveis, salvando vidas e patrimônios.
Como resultado dessa trajetória, Takaoka escreveu o livro "Heróis do Fogo”.

Fotógrafo: Alberto Takaoka - www.facebook.com/alberto.takaoka
Apoio: Gráfica IPSIS
Realização: LUPA EXPO - www.lupaexpo.com.br


PARAÍSO DAS AMÉRICAS
ESTAÇÃO SANTA CECÍLIA – 10 a 30

PARAÍSO DAS AMÉRICAS

Na exposição “Paraíso das Américas” são apresentadas algumas das paisagens mais incríveis e lugares mais ermos das Américas do Norte e Sul, por meio da fotografia. Algumas delas têm sua própria história, muitas inusitadas, fruto de expedições longas e arriscadas; outras são descobertas causais e surpreendentes.

Fotógrafo: Celso Cavallini www.cavallini.art.br
Apoio: On Line quadros


MOMENTOS DE GRATIDÃO
ESTAÇÃO CORINTHIANS-ITAQUERA – 10 a 30

MOMENTOS  DE GRATIDÃO

A artista, Edna Carla Stradioto, com sua experiência pessoal, trouxe para sua arte um tema hoje muito mencionado: a gratidão.,br> Na técnica de aquarela, ela retrata a gratidão pela vida, pelo ar, leveza e as arestas de forma suave e simples.

Artista: Edna Carla Stradioto
Curadoria:Rose de Paulo


VITRINE DE IKEBANA
ESTAÇÃO LIBERDADE – 1 a 30

VITRINE DE IKEBANA

A vitrine, instalada desde 1/12/1993, expõe arranjos de Ikebana produzidos pela Associação de Ikebana do Brasil, que são trocados semanalmente (terça-feira) para acompanhar a durabilidade das plantas.

Realização: Metrô de São Paulo / Associação de Ikebana do Brasil - www.ikebana.org.br


VITRINE DE FIGURINOS DE ÓPERAS
ESTAÇÃO MARECHAL DEODORO – 1 a 30

VITRINE DE FIGURINOS DE ÓPERAS

Figurino assinado por Fabio Namatame para a Ópera Don Giovanni, utilizado por Luciana Bueno, no papel de Donna Elvira. Sob a Regência e direção musical de Cláudio Cruz e direção cênica de Mauro Wrona, a montagem estreou no dia 28 de outubro de 2017, no Theatro São Pedro. Completaram o elenco Leonardo Neiva (Don Giovanni), Rosana Lamosa (Donna Anna), Saulo Javan (Leporello), Luciana Bueno (Donna Elvira), Caio Duran (Don Ottavio), Carla Cottini (Zerlina), Gustavo Lassen (Masetto) e Anderson Barbosa (Comendador).

Apoio: Metrô de São Paulo
Parceria: Theatro São Paulo
Realização: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo / Santa Marcelina – Organização Social de Cultura / EMESP Tom Jobim


LIBERTANDO NÍOBE
ESTAÇÃO SANTA CRUZ – VITRINE LASAR SEGALL – 1 a 30

LIBERTANDO NÍOBE

Giulianna Felicio Orefice expõe um conjunto de litografias realizadas durante seu estágio no Ateliê de Gravura do Museu Lasar Segall e apresentadas na conclusão de seu Bacharelado em Artes Visuais na Unesp. Grafadas na pedra e impressas sobre papel, as imagens são compostas por um desenho da artista em diálogo com um texto de uma mulher, constituindo um livro que reúne e publica experiências poéticas singulares em um universo feminino.

Realização: Metrô de São Paulo / Museu Lasar Segall


MASP no Metrô
Maria Auxiliadora: vida cotidiana, pintura e resistência
ESTAÇÃO TRIANON-MASP – VITRINES DO MASP – 1 a 30

Maria Auxiliadora: vida cotidiana, pintura e resistência

Em 2017, o programa MASP no Metrô passou a ocupar as vitrines da Estação Trianon-MASP. De lá pra cá, foram expostas reproduções ou trechos de trabalhos presentes nas exposições abrigadas pelo museu. Este ano a programação do museu será dedicada a apresentação de diversas narrativas afro-diaspóricas nas Américas, assim como visam a expansão da representação de artistas africanos e afro-descendentes em suas exposições. Este mês a vitrine destaca duas imagens relacionadas ao contexto da exposição Maria Auxiliadora: vida cotidiana, pintura e resistência, que possuem importância simbólica bastante valiosa aos temas que serão tratados este ano pelo museu.

Realização: Metrô de São Paulo / MASP - Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand


COM MUITO ORGULHO
ESTAÇÃO TRIANON-MASP – 1 a 30

COM MUITO ORGULHO

A mostra celebra os seis anos do museu e serve de aquecimento para a Parada do Orgulho LGBT, que acontece no dia 3 de junho.

Realizada em parceria com a Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo e com apoio da Interpride, a exposição foi desenvolvida de maneira colaborativa e conta com imagens registradas em países como Uganda, Cuba, México, Estados Unidos, Holanda, China, Israel, Chile e França. A Parada de São Paulo, cidade em que está localizado o Museu da Diversidade Sexual, tem uma parte reservada em “Com Muito Orgulho”, com fotografias históricas, uma linha do tempo e notícias de suas edições, desde a primeira, realizada em 1997.

“Desde sua primeira edição, com poucas pessoas, até se transformar na maior manifestação da população LGBT, a Parada [do Orgulho LGBT de São Paulo] mostrou que é o espaço genuíno de reinvindicação, visibilidade e celebração do orgulho. E é com muito orgulho que o Museu da Diversidade Sexual homenageia todas as pessoas que de alguma forma contribuem, organizam e participam das Paradas pelo mundo”, declara Franco Reinaudo, diretor do museu.

Curadoria: Franco Reinaudo

Projeto expográfico: Flávio Pires


Mostras Fixas
O METRÔ E SEUS BAIRROS - IPIRANGA: O BAIRRO DO GRITO! Estação Alto do Ipiranga - 1 a 30 Apoio: Adhemir Fogassa Maquetes
Realização: Metrô de São Paulo