PROGRAMAÇÃO DA LINHA DA CULTURA


Legenda: Exposições Apresentação Vitrines Parceria com Museus

CHEGOU O MOMENTO DA LUZ
ESTAÇÃO SANTANA – 10 a 30

CHEGOU O MOMENTO DA LUZ

A mostra traz obras em pontilhismo, ressaltando a necessidade da consciência da luz em todos os aspectos da vida, para que o amor possa expandir reequilibrando nosso planeta.
A constante temática envolvendo a natureza, seus animais e paisagens, sobretudo no que se refere ao Brasil, é um traço característico da artista.

Artista: Izabel Litieri - icclitieri@terra.com.br


VIAJANDO POR SÃO PAULO COM ADONIRAN BARBOSA
ESTAÇÃO SÃO BENTO – 1 a 30
ESTAÇÃO JARDIM SÃO PAULO – 10 a 30
ESTAÇÃO CORINTHIANS-ITAQUERA – 10 a 30

VIAJANDO POR SÃO PAULO COM ADONIRAN BARBOSA

A exposição conta a relação do artista com a cidade, em uma viagem conduzida por fotos e imagens de objetos do acervo Adoniran Barbosa. Os bairros que cantou em suas músicas, os lugares que frequentou, as profissões que desempenhou, as amizades que manteve com paulistanos de todos os tipos... Para cada uma das estações, é possível criar uma história diversa e múltipla. Como a própria cidade de São Paulo - e o próprio Adoniran.

Apoio: Metrô de São Paulo / Farol Santander / Instituto Galeria do Rock / Caselúdico
Realização: Acervo Adoniran Barbosa / Acervo 21 / Beleza! Conteúdo / Estúdio Canarinho


REFLEXOS DE FÁTIMA
ESTAÇÃO ALTO DO IPIRANGA – 10 a 30

REFLEXOS DE FÁTIMA

As comemorações do Centenário das Aparições em Fátima são o tema da exposição. As cenas captadas no recinto do Santuário de Fátima em Portugal, que recebe anualmente mais de 6 milhões de visitantes, “refletem” o cotidiano do templo através das pessoas que o visitam, da fé e da devoção dos peregrinos.
Para o fotógrafo, “...Fátima é um polo de atração irresistível. Passaram cem anos e assim continua, como se se inventasse em cada aurora, ou como se o Céu viesse à terra em cada madrugada, em cada vigília noturna e transformasse em nascente esta terra serrana. O mistério envolve os espaços que adquirem a solenidade dos grandes templos e estampa-se nos rostos múltiplos em ritmos e sentimentos que só podem brotar do íntimo humano. Fátima é fotografável por isto. Há espiritual, humano e divino, irmanados, que atraem. É ainda o desejo de apreender o mistério e o belo que me levam ao Santuário. E também em mim a lua acende a noite”.

Fotógrafo: António Marto
Apoio: Expo Católica / Centenário das Aparições de Fátima / TAP / EDP / Banco CGD / Fátima Hotels / Hotel Mundial Lisboa
Realização Aciso - Associação Empresarial de Ourém - Fátima / Casa de Portugal - www.casadeportugalsp.com.br


CAMINHO DA FÉ - Uma peregrinação ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida
ESTAÇÃO PARAÍSO – 10 a 30

CAMINHO DA FÉ

O Caminho da Fé, uma rota de peregrinação inspirada no Caminho de Santiago, liga Águas da Prata ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida através de trezentos quilômetros na Serra da Mantiqueira.
Milhares de fiéis, desportistas e amantes da natureza vivem uma experiência de busca interior e superação diante dos desafios de percorrer a pé ou de bicicleta, sob frio, sol ou chuva as imponentes montanhas.
A chegada ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida é sempre recebida como uma benção.

Fotógrafos: Vera de Souza e Erasmo Ballot
Patrocínio: Valle Distribuidora de Artigos Religiosos
Apoio: Caminho da Fé https://caminhodafe.com.br/ptbr/
Realização Erasmo Ballot Fotografia / Tao do Gomeral Restaurante - taodogomeralrestaurante@hotmail.com


TODO MÊS PELA VIDA
ESTAÇÃO CLÍNICAS – 1 a 30

TODO MÊS PELA VIDA

O projeto “Todo Mês Pela Vida” nasceu da reflexão de que todos nós perdemos com o câncer de mama.
Imaginando tudo pintado de rosa não só à noite, mas todo dia, não só em outubro, mas o ano inteiro, uma cidade cor-de-rosa para lembrar sobre a prevenção ao câncer de mama. Imaginando todas as mulheres, diversas, porém unidas, representadas e de pé, de cabeça erguida abraçando, acolhendo e lutando nessa cidade rosa. Toda a cidade unida, o ano todo, contra o Câncer de Mama.

Realização: Thiago Gimenes - www.thiagogimenes.com.br


NOVEMBRO AZUL
ESTAÇÃO CLÍNICAS – 05 a 30

NOVEMBRO AZUL

Campanha de conscientização realizada no mês de novembro, dirigida em especial aos homens, para compreender a respeito de doenças masculinas, com ênfase na prevenção e no diagnóstico precoce do câncer de próstata.
O movimento “Movember” surgiu na Austrália em 2003, aproveitando o Dia Mundial do Combate ao Câncer de Próstata, realizado em 17 de novembro.

Artes: Régis Morais


NOVEMBRO AZUL ILUMINADO NO METRÔ
ESTAÇÃO TRIANON-MASP – 1 a 30
ESTAÇÃO SUMARÉ – 1 a 30

NOVEMBRO AZUL ILUMINADO NO METRÔ

Agora chegou a vez da prevenção e diagnóstico precoce do câncer de próstata. O Metrô apoia o Novembro Azul com uma intervenção cromática no teto de um dos acessos da Estação Trianon-Masp, que o deixará todo azul. Além disso a Estação Sumaré será iluminada com a mesma cor todas as noites deste mês, lembrando aos homens para cuidar da saúde.
O câncer de próstata é o sexto tipo mais comum no mundo e no Brasil é a quarta causa de morte por esta doença. Quando diagnosticado e tratado no início, os riscos de mortalidade são bastante reduzidos.

Realização: Metrô de São Paulo


CONCURSO DE FOTOGRAFIA AMADORA DO METRÔ
ESTAÇÃO SÉ – 7 a 30

CONCURSO DE FOTOGRAFIA AMADORA DO METRÔ

Esta exposição traz as imagens finalistas do Concurso de Fotografia Amadora promovido pelo Metrô de São Paulo em 2018 com o tema “Metrô SP - 50 anos no coração da cidade de São Paulo - fotografe a sua estação de metrô preferida”.
Com a modernidade de suas estações, o Metrô SP inspira há muito tempo os fotógrafos amadores da cidade de São Paulo. As estações não são apenas rotas de passagens, mas espaços que revelam design, arquitetura, instalações e obras de arte únicas. Assim, o objetivo do concurso foi estimular os usuários e empregados do Metrô SP a olharem mais detidamente para as estações, registrando a beleza de cada uma delas.
O Concurso recebeu 241 fotografias e selecionou 24 finalistas. Foram premiadas sete fotos: 1° e 2° lugares da categoria empregados do Metrô, 1° e 2° lugares da categoria usuários do Metrô e uma menção honrosa - escolhidas por uma comissão julgadora; e, 1° lugar da categoria empregados e 1° lugar da categoria usuários - escolhidas por votação popular através da página do Metrô no Facebook. As postagens do concurso alcançaram mais de 18 mil pessoas no Facebook. Estes resultados mostram que em seus 50 anos, o Metrô de São Paulo está no coração da cidade e das pessoas.

Realização: Metrô de São Paulo


ESTAÇÃO MEMÓRIA
ESTAÇÃO SÉ - 7 a 30

ESTAÇÃO MEMÓRIA

Em homenagem aos 50 anos de fundação do Metrô de São Paulo, a exposição Estação Memória, na Estação Sé, está aberta à visitação e mostra alguns dos momentos mais marcantes da história da empresa. A evolução da Companhia, que incluiu a capital paulista em um dos mais movimentados e eficientes meios de transporte do mundo, é contada com diversas ações para o usuário se sentir convidado a voltar.
> Planejada para um local no ponto central da cidade de São Paulo, a Estação Sé, com um fluxo intenso de usuários que se interligam entre as linhas 1 e 3, o espaço ficará aberto ao público por 2 (dois) anos.
A grandiosidade, a modernidade, a evolução tecnológica, a complexidade das obras e a conexão do sistema sobre trilhos com o dia a dia das pessoas podem ser vistos num espaço de interação lúdica com painéis, totens e telas interativas em um túnel estilizado, em uma estrutura de cubos revestidos com comunicação visual, em um mockup de cabine e em uma mostra expositiva do sistema metroviário. Usando originalidade, a Estação Memória expõe curiosidades do Metrô de São Paulo. Você sabia, por exemplo, que o número de 4 milhões de passageiros transportados diariamente é proporcional à população do Panamá? E você sabe o equivalente a quantas voltas ao redor da Terra o Metrô percorreu em 2013? Ou ainda quantas aberturas e fechamentos das portas dos trens acontecem por dia?
Faça uma visita e fique sabendo! O Metrô está esperando por você!
#somostodosmetro

Realização: Metrô de São Paulo


PRETAS POTÊNCIAS – 13 DÉCADAS DE REINVENÇÃO
ESTAÇÃO SÃO BENTO – 1 a 30

PRETAS POTÊNCIAS – 13 DÉCADAS DE REINVENÇÃO

A exposição Pretas Potências homenageia 13 figuras negras representativas de 13 universos de resistência afro-brasileira desde o período pós-abolição da escravatura até os dias atuais.
Como forma de relembrar as 13 décadas posteriores ao fim da abolição da escravatura, a mostra selecionou 13 universos da comunidade negra para demonstrar como o empreendedorismo e as inventividades foram as estratégias encontradas pelos afro-brasileiros para sobreviverem em meio à exclusão social.

Artista: Vinícius de Araujo - www.behance.net/viniciusdearaujo
Apoio: Fundação Tide Setubal
Realização Alma Preta / Feira Preta

O LEGADO DE UM ÍDOLO
ESTAÇÃO REPÚBLICA – 10 a 30

O LEGADO DE UM ÍDOLO

A exposição narra a história do Instituto que leva o nome do maior piloto de Fórmula 1 de todos os tempos. Ayrton Senna tinha orgulho de ser brasileiro e sonhava com um país mais justo, com menos desigualdade social. O Instituto Ayrton Senna nasceu para construir um país onde a educação é a chave da transformação. Há 23 anos transforma a vida de crianças e jovens através da educação.

Realização: Instituto Ayrton Senna - www.institutoayrtonsenna.org.br


REALISMO FANTÁSTICO
ESTAÇÃO SANTA CECÍLIA – 10 a 30

REALISMO FANTÁSTICO

A mostra traz alguns traços do Realismo Fantástico, expressão muito utilizada nas artes pictóricas e na Literatura, traduz muito bem em seus temas e formas, como a mente não linear desta artista trabalha e traduz a vida contemporânea.
Os trabalhos contam com uma grande quantidade de símbolos e de significados, como a presença dos chinelos, objetos esses que invadem e permeiam seus quadros desde o início dos anos 2000, cujo significado é o povo e sua vida cotidiana. Outra presença é a dos grafismos que integram com força toda a sua produção.

Artista: Eliana Angélica Peres D'Alessandro elianaals@hotmail.com


VITRINE DE IKEBANA
ESTAÇÃO LIBERDADE – 1 a 30

VITRINE DE IKEBANA

A vitrine, instalada desde 1/12/1993, expõe arranjos de Ikebana produzidos pela Associação de Ikebana do Brasil, que são trocados semanalmente (às terças-feiras) para acompanhar a durabilidade das plantas.

Realização: Metrô de São Paulo / Associação de Ikebana do Brasil - www.ikebana.org.br


ARQUEOLOGIA: O METRÔ DESCOBRINDO O PASSADO – ESTAÇÃO ALTO DA BOA VISTA
ESTAÇÃO SÃO BENTO – 5 a 30

ARQUEOLOGIA: O METRÔ DESCOBRINDO O PASSADO

A Companhia do Metropolitano de São Paulo – Metrô, em consonância com sua política de responsabilidade social e ambiental, desenvolve, elabora e gerencia estudos arqueológicos e ações de educação patrimonial associados a todas as obras que implanta na cidade de São Paulo.
Esta mostra apresenta alguns dos materiais resgatados durante as escavações realizadas na Avenida Santo Amaro entre as Ruas Irineu Marinho e da Fraternidade durante a construção da Estação Alto da Boa Vista da Linha 5-Lilás do Metrô. O local foi registrado como Sítio Arqueológico Alto da Boa Vista.
O acervo gerado por este Sítio Arqueológico é composto em grande parte por vidros, que configuram a maior porcentagem de material coletado na escavação. Completam ainda este acervo, fragmentos de louça, metal, couro, ossos, polímeros e cerâmica, além de material construtivo como azulejos, telhas e manilhas hidráulicas, que datam a partir do começo do século XX.
O Sítio Arqueológico Alto da Boa Vista, fornece, sobretudo, informações sobre o processo de urbanização de Santo Amaro, onde se mesclavam, ainda, aspectos rurais e o despontar de novos conceitos aplicados à cidade, frente ao crescimento populacional, a industrialização e o consequente reordenamento do espaço.

Apoio: Iphan / Museu Sorocabano
Realização: Metrô de São Paulo / A Lasca Arqueologia


-->

VITRINE DE FIGURINOS DE ÓPERAS
ESTAÇÃO MARECHAL DEODORO – 1 a 30

VITRINE DE FIGURINOS DE ÓPERAS

Figurino assinado por Fabio Namatame para a Ópera Alcina, utilizado por Marília Vargas, no papel de Alcina.
Sob a regência e direção musical de Luís Otávio Santos, cenografia e direção cênica de William Pereira, iluminação de Mirella Brandi e visagismo de Tiça Camargo, a montagem estreou no dia 22 de junho de 2018, no Theatro São Pedro

Parceria: Theatro São Paulo
Realização: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo / Santa Marcelina – Organização Social de Cultura / EMESP Tom Jobim


MARIA, MÃE
ESTAÇÃO TIRADENTES – 1 a 18
MUSEU DE ARTE SACRA – SALA METRÔ TIRADENTES

MARIA, MÃE

As esculturas apresentam o universo de todas as mulheres, representadas em uma só: Maria e sua presença como mãe. Com tais imagens carregadas de significados e simbologias, a artista Bel Miller busca despertar sentimentos no espectador, evocando emoções, elementos e referências que compõem este peculiar mundo feminino.
A mostra utiliza como suporte esculturas de Nossa Senhora, todas em um mesmo formato, sobre as quais desenvolve sua linguagem pictórica, inteiramente dedicada ao universo feminino.
Inspirada em uma mulher – Maria, mãe e princípio de tudo -, Bel Miller utiliza colagem e outras técnicas para criar suas peças, repletas de combinações, fundos e camadas, que contam histórias únicas e que não se repetem.

Artista: Bel Miller
Realização: Governo do Estado de São Paulo / Secretaria da Cultura / Secretaria dos Transportes Metropolitanos / Metrô de São Paulo / Museu de Arte Sacra - www.museuartesacra.org.br


MAIS QUE UMA VILÃ: O MÚLTIPLO TALENTO DE BEATRIZ SEGALL
ESTAÇÃO SANTA CRUZ – VITRINE LASAR SEGALL – 10 a 30

MAIS QUE UMA VILÃ: O MÚLTIPLO TALENTO DE BEATRIZ SEGALL

Uma das mais importantes atrizes brasileiras nos deixou no início de setembro de 2018. Com seu talento, Beatriz encantou as plateias de teatro, prendeu a atenção dos espectadores das telenovelas e fez a diferença nas inúmeras produções cinematográficas em que atuou. Este painel é uma homenagem a essa mulher de personalidade forte, que sempre apoiou o marido em sua luta contra ditadura e brigou pela preservação do patrimônio histórico da Vila Mariana, bairro em que morou.

Realização: Metrô de São Paulo / Museu Lasar Segall - www.mls.gov.br


TEXTÃO
MUSEU DA DIVERSIDADE SEXUAL
ESTAÇÃO REPÚBLICA – 6 a 30

TEXTÃO

A palavra textão é uma expressão comumente utilizada pelas comunidades negras, feministas e LGBTQIA+brasileiras. O artifício do textão costuma ser acionado quando pessoas dessas comunidades sofrem algum tipo de agressão.
São trabalhos que nos trazem, por meio do texto e suas diferentes performações – na música, na poesia, na performance, no campo acadêmico, nas experimentações gráficas, no vídeo e até mesmo nas conversas cotidianas –, diversas perspectivas e falas que se cruzam, divergem e expandem as maneiras de pensar e experimentar o mundo hoje. Um mundo que nos obriga a lidar, simultaneamente, com fortes regimes de precarização, como aqueles vividos nos museus públicos do país, e a necessidade de continuar se movendo.
Acreditando no poder mobilizador da palavra, especialmente manifestada por vozes que foram historicamente silenciadas, o espaço expositivo se utiliza de estratégias virais de reprodução dos textos e pensamentos desses participantes. Busca, assim, contaminar o centro e as extremidades da cidade, a partir da encruzilhada onde se situa o museu. Encruzilhada entendida, assim como o textão, como ponto crítico e campo de possibilidades, em que uma posição, em determinada direção, deve ser tomada.

Curadoria: Explode! / Lanchonete.org e Lastro Realização:Museu da Diversidade Sexual - www.mds.org.br


RUBEM VALENTIM: CONSTRUÇÕES AFRO-ATLÂNTICAS
ESTAÇÃO TRIANON-MASP – VITRINES DO MASP – 12 a 30

RUBEM VALENTIM: CONSTRUÇÕES AFRO-ATLÂNTICAS

A exposição em torno da obra de Rubem Valentim (Salvador, 1922 - São Paulo, 1991) reúne cerca de 60 trabalhos com o propósito de rever a produção desse fundamental artista brasileiro do século 20, responsável por promover potentes articulações entre os elementos da tradição ocidental e as raízes africanas da cultura brasileira. Pintor, escultor e gravador, Rubem Valentim cresceu em contato íntimo com a religiosidade sincrética afro-brasileira: sua família era católica, mas o artista também frequentava terreiros de candomblé. Já adulto, Valentim relataria seu deslumbramento tanto com os ritos afro-brasileiros quanto com a imaginária das igrejas cristãs, especialmente os santos barrocos.
Nas obras de Valentim há uma interpenetração muito sutil e precisa entre a estrutura de base construtiva e a iconografia e o colorido herdados do universo mágico e religioso afro-brasileiro. Nesse sentido, podemos dizer que Valentim é um dos artistas que, de maneira mais completa e ambiciosa, realizou o desejo antropofágico da cultura brasileira – a ideia, lançada pelo poeta Oswald de Andrade no final dos anos 1920, que propunha “deglutir” o legado cultural europeu, “digeri-lo” e então devolvê-lo ao mundo sob a forma de uma arte tipicamente brasileira.

Realização: Metrô de São Paulo / MASP - Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - www.masp.org.br


Mostras Fixas
O METRÔ E SEUS BAIRROS - IPIRANGA: O BAIRRO DO GRITO! Estação Alto do Ipiranga - MOSTRA FIXA Apoio: Adhemir Fogassa Maquetes
Realização: Metrô de São Paulo