PROGRAMAÇÃO DA LINHA DA CULTURA


Legenda: Exposições Apresentação Vitrines Parceria com Museus

PRETAS POTÊNCIAS – 13 DÉCADAS DE REINVENÇÃO
ESTAÇÃO LUZ – 10 a 21

PRETAS POTÊNCIAS – 13 DÉCADAS DE REINVENÇÃO

A exposição Pretas Potências homenageia 13 figuras negras representativas de 13 universos de resistência afro-brasileira desde o período pós-abolição da escravatura até os dias atuais.
Como forma de relembrar as 13 décadas posteriores ao fim da abolição da escravatura, a mostra selecionou 13 universos da comunidade negra para demonstrar como o empreendedorismo e as inventividades foram as estratégias encontradas pelos afro-brasileiros para sobreviverem em meio à exclusão social.

Artista: Vinícius de Araujo - www.behance.net/viniciusdearaujo
Apoio: Fundação Tide Setubal
Realização Alma Preta / Feira Preta

EXPRESSÕES DO CENTRO
ESTAÇÃO VILA PRUDENTE – 10 a 31

EXPRESSÕES DO CENTRO

O Centro de São Paulo é vivo, intenso, caótico, maravilhoso, histórico, contemporâneo. O Centro é trabalho, mas também é lazer. O Centro diz o que vivemos e indica o que vem por aí. O Centro é, ao mesmo tempo, individual e coletivo. Cada um tem sua maneira de enxergar e viver o coração da maior cidade da América Latina, mas um fato é unânime: é impossível ficar indiferente ao Centro. Pensando nisso, o Pátio Metrô São Bento desenvolveu a exposição “Expressões do Centro”. Foram convidados quatro artistas visuais para ilustrar 12 lugares icônicos da região. Fernanda Vaz, Natália Gregorini, Thales Lira e Victor Gáspari Canela aportaram seus olhares para dar novas feições a cartões postais já conhecidos. A exposição convida o expectador a refletir sobre locais do cotidiano da cidade que muitas vezes passam despercebidos. A partir das visões dos artistas, a mostra incentiva que cada pessoa se desafie a olhar e se relacionar com o Centro de uma nova maneira.

Realização Pátio Metrô São Bento - www.patiosaobento.com.br


ESTAÇÃO ALTO DO IPIRANGA – 10 a 31
REALISMO FANTÁSTICO

REALISMO FANTÁSTICO

A mostra traz alguns traços do Realismo Fantástico, expressão muito utilizada nas artes pictóricas e na Literatura, traduz muito bem em seus temas e formas, como a mente não linear desta artista trabalha e traduz a vida contemporânea. Os trabalhos contam com uma grande quantidade de símbolos e de significados, como a presença dos chinelos, objetos esses que invadem e permeiam seus quadros desde o início dos anos 2000, cujo significado é o povo e sua vida cotidiana. Outra presença é a dos grafismos que integram com força toda a sua produção.

Artista: Eliana Angélica Peres D'Alessandro elianaals@hotmail.com


31º SALÃO DE ARTE DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE SÃO PAULO DISTRITAL PINHEIROS
ESTAÇÃO CLÍNICAS – 10 a 31

FACES DA REABILITAÇÃO

Fundado em 1988, há 31 anos buscando e dando oportunidade ao artista plástico brasileiro de mostrar habilidades nas artes. O Salão de Arte de Pinheiros contribui no aspecto cultural e econômico, descobre novos talentos e incrementa a classe cultural, gerando empregos diretos e indiretos, valorizando os segmentos voltados ao comércio e à indústria.

Realização:Associação Comercial de São Paulo - Distrital Pinheiros


FACES DA REABILITAÇÃO
ESTAÇÃO CLÍNICAS – 10 a 31

FACES DA REABILITAÇÃO
A exposição Faces da Reabilitação é o resultado do Projeto "Visagismo e Automaquiagem", realizado com pacientes do Instituto de Medicina Física e Reabilitação (IMREA), que faz parte da Rede Lucy Montoro do Governo do Estado de São Paulo.
A fim de alcançar os objetivos do projeto e ajudar a resgatar a autoestima de pacientes com deficiência ou doenças potencialmente incapacitantes, o visagista Celso Lumi, auxiliado por uma equipe de psicólogos e terapeutas ocupacionais, dividiu as aulas em três módulos: "Cuidado com a pele", "A maquiagem para os olhos" e "Como fazer o contorno dos lábios".
Para cada participante do curso, uma história diferente registrada em uma única imagem, escolhida especialmente para dar vida a esta exposição. Para o visitante, fica o privilégio de vivenciar, aqui, algumas das Faces da Reabilitação da Rede Lucy Montoro.

Patrocinio: Nu Cultura

Apoio: Metrô de São Paulo
Realização:Rede Lucy Montoro de Reabilitação


SAMPA VISTO DE CIMA
ESTAÇÃO SÉ – 10 a 31

SAMPA VISTO DE CIMA

A maior cidade do continente é uma verdadeira selva de pedra retratada aqui de um ângulo diferente do tradicional. Prédios, avenidas, praças, monumentos, parques, enfim verdadeiros ícones da cidade vistos e registrados por cima! Uma cidade cheia de formas e cores vista por um ângulo diferente do tradicional. A selva de pedra dá lugar ao encantamento das paisagens peculiares da cidade que, de cinza, pouco tem. Aprecie a magnitude da beleza de São Paulo sob um olhar, até então, pouco explorado. Permita-se embarcar nessa viagem sob outra perspectiva em que novas e incríveis paisagens se formam e se transformam em novos cenários.

Fotógrafo: Marcelo Sonohara Instagram: @msonohara

-

Apoio Paulista Foto - www.paulistafoto.com.br


VIAJANDO POR SÃO PAULO COM ADONIRAN BARBOSA
ESTAÇÃO REPÚBLICA – 10 a 31

VIAJANDO POR SÃO PAULO COM ADONIRAN BARBOSA

A exposição conta a relação do artista com a cidade, em uma viagem conduzida por fotos e imagens de objetos do acervo Adoniran Barbosa. Os bairros que cantou em suas músicas, os lugares que frequentou, as profissões que desempenhou, as amizades que manteve com paulistanos de todos os tipos... Para cada uma das estações, é possível criar uma história diversa e múltipla. Como a própria cidade de São Paulo - e o próprio Adoniran.

Apoio: Metrô de São Paulo / Farol Santander / Instituto Galeria do Rock / Caselúdico
Realização: Acervo Adoniran Barbosa / Acervo 21 / Beleza! Conteúdo / Estúdio Canarinho


CONCURSO DE FOTOGRAFIA AMADORA DO METRÔ
ESTAÇÃO SANTA CECÍLIA – 10 a 31

CONCURSO DE FOTOGRAFIA AMADORA DO METRÔ

Esta exposição traz as imagens finalistas do Concurso de Fotografia Amadora promovido pelo Metrô de São Paulo em 2018 com o tema “Metrô SP - 50 anos no coração da cidade de São Paulo - fotografe a sua estação de metrô preferida”.
Com a modernidade de suas estações, o Metrô SP inspira há muito tempo os fotógrafos amadores da cidade de São Paulo. As estações não são apenas rotas de passagens, mas espaços que revelam design, arquitetura, instalações e obras de arte únicas. Assim, o objetivo do concurso foi estimular os usuários e empregados do Metrô SP a olharem mais detidamente para as estações, registrando a beleza de cada uma delas.
O Concurso recebeu 241 fotografias e selecionou 24 finalistas. Foram premiadas sete fotos: 1° e 2° lugares da categoria empregados do Metrô, 1° e 2° lugares da categoria usuários do Metrô e uma menção honrosa - escolhidas por uma comissão julgadora; e, 1° lugar da categoria empregados e 1° lugar da categoria usuários - escolhidas por votação popular através da página do Metrô no Facebook. As postagens do concurso alcançaram mais de 18 mil pessoas no Facebook. Estes resultados mostram que em seus 50 anos, o Metrô de São Paulo está no coração da cidade e das pessoas.

Realização: Metrô de São Paulo



VITRINE DE IKEBANA
ESTAÇÃO JAPÃO-LIBERDADE – 1 a 31

VITRINE DE IKEBANA

A vitrine, instalada desde 1/12/1993, expõe arranjos de Ikebana produzidos pela Associação de Ikebana do Brasil, que são trocados semanalmente (às terças-feiras) para acompanhar a durabilidade das plantas.

Realização: Metrô de São Paulo / Associação de Ikebana do Brasil - www.ikebana.org.br


ARQUEOLOGIA: O METRÔ DESCOBRINDO O PASSADO – ESTAÇÃO ALTO DA BOA VISTA
ESTAÇÃO SÃO BENTO – 1 a 31

ARQUEOLOGIA: O METRÔ DESCOBRINDO O PASSADO

A Companhia do Metropolitano de São Paulo – Metrô, em consonância com sua política de responsabilidade social e ambiental, desenvolve, elabora e gerencia estudos arqueológicos e ações de educação patrimonial associados a todas as obras que implanta na cidade de São Paulo.
Esta mostra apresenta alguns dos materiais resgatados durante as escavações realizadas na Avenida Santo Amaro entre as Ruas Irineu Marinho e da Fraternidade durante a construção da Estação Alto da Boa Vista da Linha 5-Lilás do Metrô. O local foi registrado como Sítio Arqueológico Alto da Boa Vista.
O acervo gerado por este Sítio Arqueológico é composto em grande parte por vidros, que configuram a maior porcentagem de material coletado na escavação. Completam ainda este acervo, fragmentos de louça, metal, couro, ossos, polímeros e cerâmica, além de material construtivo como azulejos, telhas e manilhas hidráulicas, que datam a partir do começo do século XX.
O Sítio Arqueológico Alto da Boa Vista, fornece, sobretudo, informações sobre o processo de urbanização de Santo Amaro, onde se mesclavam, ainda, aspectos rurais e o despontar de novos conceitos aplicados à cidade, frente ao crescimento populacional, a industrialização e o consequente reordenamento do espaço.

Apoio: Iphan / Museu Sorocabano
Realização: Metrô de São Paulo / A Lasca Arqueologia


VITRINE DE FIGURINOS DE ÓPERAS
ESTAÇÃO MARECHAL DEODORO – 1 a 31

VITRINE DE FIGURINOS DE ÓPERAS

Figurino assinado por Fabio Namatame para a Ópera Alcina, utilizado por Marília Vargas, no papel de Alcina.
Sob a regência e direção musical de Luís Otávio Santos, cenografia e direção cênica de William Pereira, iluminação de Mirella Brandi e visagismo de Tiça Camargo, a montagem estreou no dia 22 de junho de 2018, no Theatro São Pedro

Parceria: Theatro São Paulo
Realização: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo / Santa Marcelina – Organização Social de Cultura / EMESP Tom Jobim


MUSEU DE ARTE SACRA – SALA METRÔ TIRADENTES
ADÁGIO
ESTAÇÃO TIRADENTES – 25 a 31

ADÁGIO"

O Museu de Arte Sacra de São Paulo inaugura "Adágio", do artista visual paulistano Allann Seabra, sob curadoria de Bianca Boeckel. O trabalho artístico de Allann Seabra tem origem na música erudita, sua primeira formação. Já nas artes visuais, iniciou sua produção com esculturas criadas a partir de objetos que eram descartados da fábrica de sua família. Da escultura, passou a se dedicar à gravura, em matrizes que gravou sobre a partitura de uma música de Beethoven. Agora, em "Adágio", o artista exibe uma produção inédita composta por esculturas em aço corten. Nos dizeres da curadora Bianca Boeckel: "A arte de Allann Seabra é música para os olhos. Em todo o processo manual do artista há uma razão regendo os elementos componentes à hegemonia total do espaço, através de desdobramentos para além do limite físico. A leveza do resultado final dialoga com a rigidez do aço, unissonamente. A obra avança, domina, se faz expressão maciça em alto volume".

Realização: Governo do Estado de São Paulo / Secretaria da Cultura / Secretaria dos Transportes Metropolitanos / SUTACO / Metrô de São Paulo / Museu de Arte Sacra de São Paulo


MAIS QUE UMA VILÃ: O MÚLTIPLO TALENTO DE BEATRIZ SEGALL
ESTAÇÃO SANTA CRUZ – VITRINE LASAR SEGALL – 1 a 31

MAIS QUE UMA VILÃ: O MÚLTIPLO TALENTO DE BEATRIZ SEGALL

Uma das mais importantes atrizes brasileiras nos deixou no início de setembro de 2018. Com seu talento, Beatriz encantou as plateias de teatro, prendeu a atenção dos espectadores das telenovelas e fez a diferença nas inúmeras produções cinematográficas em que atuou. Este painel é uma homenagem a essa mulher de personalidade forte, que sempre apoiou o marido em sua luta contra ditadura e brigou pela preservação do patrimônio histórico da Vila Mariana, bairro em que morou.

Realização: Metrô de São Paulo / Museu Lasar Segall - www.mls.gov.br


RUBEM VALENTIM: CONSTRUÇÕES AFRO-ATLÂNTICAS
ESTAÇÃO TRIANON-MASP – VITRINES DO MASP – 1 a 31

RUBEM VALENTIM: CONSTRUÇÕES AFRO-ATLÂNTICAS

A exposição em torno da obra de Rubem Valentim (Salvador, 1922 - São Paulo, 1991) reúne cerca de 60 trabalhos com o propósito de rever a produção desse fundamental artista brasileiro do século 20, responsável por promover potentes articulações entre os elementos da tradição ocidental e as raízes africanas da cultura brasileira. Pintor, escultor e gravador, Rubem Valentim cresceu em contato íntimo com a religiosidade sincrética afro-brasileira: sua família era católica, mas o artista também frequentava terreiros de candomblé. Já adulto, Valentim relataria seu deslumbramento tanto com os ritos afro-brasileiros quanto com a imaginária das igrejas cristãs, especialmente os santos barrocos.
Nas obras de Valentim há uma interpenetração muito sutil e precisa entre a estrutura de base construtiva e a iconografia e o colorido herdados do universo mágico e religioso afro-brasileiro. Nesse sentido, podemos dizer que Valentim é um dos artistas que, de maneira mais completa e ambiciosa, realizou o desejo antropofágico da cultura brasileira – a ideia, lançada pelo poeta Oswald de Andrade no final dos anos 1920, que propunha “deglutir” o legado cultural europeu, “digeri-lo” e então devolvê-lo ao mundo sob a forma de uma arte tipicamente brasileira.

Realização: Metrô de São Paulo / MASP - Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - www.masp.org.br


PLURAL 24H
MUSEU DA DIVERSIDADE SEXUAL
ESTAÇÃO REPÚBLICA - MUSEU DA DIVERSIDADE SEXUAL – 25 a 31

PLURAL 24H

A soma de nossas singularidades é o que nos torna únicas e diversas. Nosso corpo, nosso gênero e nossa orientação com suas particularidades formam nossa sexualidade e a forma que a expressamos, no meio social que vivemos, resulta na relação que estabelecemos com a sociedade. Essas relações são construídas no empo, que antigamente era medido pela claridade e escuridão, o dia e a noite, que juntos somam 24 horas. A fragmentação do tempo nasce da necessidade do homem de ordenar o cotidiano e estabelecer regras. O resultado já sabemos... a desigualdade que hierarquiza e promove a discriminação de pessoas que não são aceitáveis pelas normas criadas pelo HOMEM! A exposição Plural faz um registro de como a população LGBTI+ vive ou sobrevive suportando o peso desse preconceito ao longo do dia que é um substantivo singular, formado pelas horas que é plural que constrói o tempo que é singular... 24 também é o número do veado no jogo do bicho, associado pelo HOMEM aos homossexuais masculinos de forma pejorativa. Que o tempo consiga mudar essa lógica de exclusão e que possamos um dia respeitar as diferenças de cada um, de cada uma.

Fotógrafo: Iano Coimbra
Apoio: Metrô de São Paulo
Realização:Museu da Diversidade Sexual - www.mds.org.br


Mostras Fixas
O METRÔ E SEUS BAIRROS - IPIRANGA: O BAIRRO DO GRITO! Estação Alto do Ipiranga - MOSTRA FIXA Apoio: Adhemir Fogassa Maquetes
Realização: Metrô de São Paulo
ESTAÇÃO MEMÓRIA Estação Sé - De segunda a sexta-feira – das 9h às 18h Realização: Metrô de São Paulo