PROGRAMAÇÃO DA LINHA DA CULTURA

CANTO CORAL DE NATAL

CANTO CORAL DE NATAL
SANTANA: dia 12, às 12h e 13h20
CLÍNICAS: dia 06, às 12h40, 17h40 e 18h20 / dia 12, às 13h20 e 17h
TATUAPÉ: dia 08, às 13h20 e 18h20 / dia 14, às 12h, 13h20 e 18h20
SÉ: dia 06, às 17h / dia 8, às 12h40, 13h20 e 17h / dia 12, às 12h, 17h40 e 18h20 / dia 14, às 13h20, 17h, 17h40 e 18h20 / dia 16, às 13h20 e 18h20
REPÚBLICA: dia 12, às 12h, 12h40, 13h20 e 18h20 / dia 14, às 12h, 12h40, 13h20, 17h e 18h20 / dia 16, às 12h, 12h40, 13h20, 17h, 17h40 e 18h20

No seu 24º ano de apresentações em estações do Metrô, o "Canto Coral de Natal" já se tornou tradição para nossos usuários. Serão 40 corais que levarão à população momentos de arte e de cultura, valorizando sentimentos de fraternidade e de esperança. Cantores, músicos e maestros dos diversos corais que se apresentam são as vozes que levam, em nome do Metrô de São Paulo, os votos de um Natal cheio de paz e de um Ano-Novo repleto de realizações.

Realização: Metrô de São Paulo

Veja aqui a programação completa.

Apresentações

ARTE NA RUA DE NATAL ARTE NA RUA DE NATAL SANTANA - dia 02/12 - das 11 às 13h30
CLÍNICAS - dia 05/12- das 11 às 13h30
TATUAPÉ – dia 07/12- das 11 às 13h30
SÉ – dia 13/12 – das 11 às 13h30
REPÚBLICA - dia 15/12- das 11 às 13h30
O Arte na Rua é uma iniciativa da Globo que valoriza os artistas de rua e presenteia São Paulo com arte e inspiração para todos, de uma forma gratuita e democrática. A edição especial de Natal proporciona uma experiência única por meio da música, embalando o espírito de Natal no dia a dia daqueles que utilizam o transporte coletivo.
Realização: Globo
Veja programação completa em sp.globo.com

Programação

BRINQUEDOS TRADICIONAIS JAPONESES

O Japão é considerado celeiro do mundo em diferentes brinquedos tradicionais trabalhados à mão, a partir de madeira, papel, papier marché e argila. Nesta exposição, eles são representados pela arte milenar do ORIGAMI.
Muitos brinquedos surgiram há mais de duzentos anos e os japoneses tinham a esperança de que as crianças teriam felicidade e saúde se brincassem com eles.
Os brinquedos atualmente são produzidos a partir de metal, plástico, borracha e outros materiais criados ou inventados na era moderna. Eles são rapidamente descartados antes que se crie um vínculo sentimental, despertando nas crianças um sentimento de que tudo é descartável.
Daruma, Hagoita, Hatsudako, Kokechi, Koma, Teru-Teru, entre outros brinquedos artesanais representados em ORIGAMI e apresentados nessa exposição, são exemplos da magia que brinquedos artesanais exercem sobre as crianças, sendo também uma homenagem a seus antepassados quando crianças.
Como o ORIGAMI também tem seu sentido lúdico, estão expostos alguns ORIGAMIS PARA BRINCAR.

Artista: Alzira Cattony - acattony-origami@bol.com.br


CULTURA DE PAZ NO MOVIMENTO HIP HOP

A exposição é o resultado do trabalho de 18 grafiteiros convidados do Encontro Paulista de Hip Hop, para expressar com arte os princípios de paz apresentado à ONU em 2001.

Apoio: Globo
Realização: Governo do Estado de São Paulo - Secretaria da Cultura


RECICLA PNEUS

A exposição mostra o trabalho de Daniel Beato, a partir de pneus sem utilidade. Batizado de "Arte em Pneus", o artista utiliza o material para transformar o que seria descartado em obras de arte sustentáveis e com novas funções e estilos. Além do conceito sustentável, os objetos agregam valor à inovação e ao bom design.

Patrocínio: Bridgestone
Realização: Cultura Sustentável - www.culturasx.com.br


CIDADE QUE BRINCA

A exposição "Cidade que Brinca" narra a experiência desse projeto que ocorre no Glicério, no centro da cidade de São Paulo. Lá, as crianças transformam o bairro com profissionais da educação, saúde, assistência, famílias, artistas grafiteiros, estudantes e comunidade. Por meio de uma sequência de imagens, a exposição narra o poder transformador que a criança possui e desperta.

Apoio: Bernard Van Leer Foundation - Tintas Coral
Realização: CriaCidade - Cidade que Brinca - Projeto Criança Fala na Comunidade - Art in Home - LSF - Coletivo Leve


DANÇA DAS CORES

A exposição mostra aos transeuntes um momento de reflexão em cores por meio das pinturas. A ideia é despertar em cada um uma boa lembrança vivida: quer seja num baile de formatura, numa serenata ou numa roda de samba, com o objetivo de amenizar a correria do dia a dia.
A dança é uma forma de expressão artística reconhecida internacionalmente e possui seu próprio dia no calendário, para que seja lembrada sua relevância, assim como para fomentar um maior interesse do público em geral e incentivar os poderes públicos e privados a destinarem mais espaços para sua prática.
Joni Simões, professor de dança de salão é artista plástico e transfere sua vivência para suas obras, apresentando, assim, um repertório de ritmos da Cultura Popular.

Artista: Joni Simões - jonisimoes@gmail.com
Apoio: Versão Cultural e Chiron Produção
Produção Cultural e Curadoria: Rose de Paulo - rosedepaulo@gmail.com


DIVERSIDADE DO MOSAICO PAULISTA

A 3ª edição da Exposição "Diversidade do Mosaico Paulista" retrata a arte do mosaico sob o olhar e técnica aplicada por vários artistas. Desde as primeiras manifestações da arte musiva, no século III a.C., até os dias de hoje, o mosaico percorreu vários caminhos e linguagens e esta diversidade pode ser observada na peculiaridade da representação artística de cada obra.

Facebook: Mosaico Paulista
Realização: Mosaico Paulista - mosaicopaulista@gmail.com


20 MULHERES... 20 FOTÓGRAFOS e 1 CAUSA

A exposição de fotografias "20 Mulheres... 20 Fotógrafos e 1 Causa" foi idealizada para impactar e sensibilizar pessoas. Trata-se de um alerta preventivo ao câncer de mama e um estímulo à superação para as mulheres em tratamento.
Foram convidadas 20 mulheres que vivem ou viveram o câncer de mama para serem fotografadas. E elas, corajosamente, aceitaram o desafio! Como guerreiras, se dispuseram de corpo e alma para o propósito.
E os 20 fotógrafos, cada um com seu olhar, conseguiram desvendar essas mulheres. Eles captaram a beleza, a delicadeza, a essência e a força de cada uma delas. O resultado ficou incrível!
Agora, a Exposição tornou-se itinerante e segue buscando outros olhares...

Idealização e Curadoria: Marta Pegorelli - marta@anggulo.com.br
Produção Executiva: Juliana Oliveira
Apoio: CAISM UNICAMP - Juan Photo Studio - Projeto Be Pink
Realização: Ânggulo Eventos


ÀS VEZES FALAMOS

Ao longo dos anos de 2015 e 2016, Ricardo fotografou os subúrbios de Nova York, sempre fazendo uso das linhas e plataformas elevadas do metrô e trens metropolitanos, para observar a dinâmica urbana e escolher as situações e ângulos a serem "capturados". Em seu trabalho, Ricardo busca aspectos genuínos da vida diária, representações do ordinário e vestígios de resistência em uma sociedade altamente forjada pelo capital.

Fotógrafo: Ricardo Ribeiro - ricardo@ricardo-ribeiro.com
Apoio: Jacarandá Montagens - jacarandamontagens.com.br


MULHERES NO ESPELHO

O objetivo da exposição é envolver a sociedade no tema, motivar a quebra de preconceitos em relação ao câncer de mama e mostrar a importância do carinho, do respeito e do acolhimento nesse momento tão delicado.
As fotos retratam a capacidade de superação das mulheres e a força para recomeçar a vida sob uma nova perspectiva.

Apoio: Núcleo da Mama
Patrocínio: Vult
Realização: Instituto Viver Hoje - www.viverhoje.org


AVENTURAS PELO MUNDO

Pretendemos observar o mundo pelo olhar do ser humano, posicionado no centro do palco da vida percorrendo os cantos todos do planeta, percebendo tudo enquanto casa, e cada passo e ação como aventura eterna de viver e confrontar os limites da existência.

Apoio: Instituto 77
Realização: World Adventure Society - http://worldadventuresociety.org
Patrocínio: Canon


UM OLHAR ATENTO PARA O ENTARDECER DA VIDA

A partir de trechos de poemas consagrados, a Associação São Joaquim de Apoio à Maturidade apresenta imagens de seu cotidiano em seu Centro de Convivência e traz à tona a necessidade de um olhar atento à causa do idoso.
O que significa ter um olhar atento para o entardecer da vida? Rubem Alves tem um belo texto intitulado: 'A complicada arte de ver'. Diz ele em um dos parágrafos: "Realmente ver é muito complexo. Isso é estranho porque a física do olho é idêntica a física óptica de uma máquina fotográfica. O objeto do lado de fora aparece refletido do lado de dentro. Mas existe algo na visão que não pertence à física. Há muitas pessoas de visão perfeita que nada veem".
O que isso nos diz acerca de como vemos a velhice, especificamente? Tudo. Essa categoria velhice ainda é invisível, socialmente falando. Estamos em uma janela de oportunidade para preparar um mundo mais acolhedor, respeitoso e humano para os velhos do futuro próximo, que seremos nós. Vivemos os últimos momentos da última geração que nossos filhos, bem ou mal, sentirão a obrigação de cuidar dos pais e serão socialmente cobrados para isso.
E para cada um de nós? Quais são os desafios? Já se perguntou: o que é que eu tenho a ver com isso?

Texto: Neuza Correia Cavalcante
Fotógrafas: Naná Bastos - Roberta Andrade Aparicio
Realização: Associação São Joaquim de Apoio à Maturidade - www.saojoaquim.org.br


Vitrines
VITRINE DE IKEBANA VITRINE DE IKEBANA Estação Liberdade - de 01 a 31 A vitrine, instalada desde 1/12/1993, expõe arranjos de Ikebana produzidos pela Associação de Ikebana do Brasil, que são trocados semanalmente (terça-feira) para acompanhar a durabilidade das plantas.
Realização: Associação de Ikebana do Brasil - Metrô de São Paulo
VITRINE DE FIGURINOS DE ÓPERAS VITRINE DE FIGURINOS DE ÓPERAS Estação marechal Deodoro - de 10 a 31 Exposição do figurino de "Dulcineia", interpretado pela soprano Luisa Francesconi.
A vestimenta foi usada na ópera "Dom Quixote" – ópera em cinco atos de Jules Massenet.
O espetáculo esteve em cartaz no Theatro São Pedro e no Theatro Municipal do Rio de Janeiro em março-abril de 2016. Foi uma homenagem aos 400 anos da morte de Miguel de Cervantes.
A direção musical e regência foram de Luiz Fernando Malheiro e o figurino assinado por Fábio Namatame.

Apoio: Metrô de São Paulo
Parceria: Theatro São Pedro
Realização: Instituto Pensarte - www.pensarte.org.br
DOBRADURAS DE PAPEL, PÁSSAROS E FLORES EM CLIMA DE VERÃO DOBRADURAS DE PAPEL, PÁSSAROS E FLORES EM CLIMA DE VERÃO Estação São Bento - de 01 a 30 - Vitrine São Bento A exposição agrupa um conjunto de pequenas esculturas do artista plástico Paulo Palma. Executadas a partir da técnica conhecida como Origami, trazem na essência a arte de dobrar o papel. Estas dobraduras vão dando forma a bichos, flores e muitas possibilidades capazes de nos surpreender pela simplicidade do material utilizado.
Artista: Paulo Palma - paulorobertopalma31@gmail.com - www.origamipaulopalma.com.br
Curadoria: Jessie Palma
Patrocínio: Shopping do Acrílico - www.shoppingdoacrilico.com.br

Parcerias com Museus
SAGRADA FAMILIA, FAMÍLIA SAGRADA SAGRADA FAMILIA, FAMÍLIA SAGRADA Estação Tiradentes - de 01 a 31 | Museu de Arte Sacra - Sala Metrô Tiradentes A Sala Metrô Tiradentes apresenta presépios montados e idealizados por convidados e colecionadores. A curadora Francesca Alzati convidou alguns amigos para que eles trouxessem ao Museu de Arte Sacra de São Paulo suas próprias peças e retratassem como veem as bases de cada família, seus valores, crenças e tudo o que lhes é sagrado. "O Presépio, intenso como a Sagrada Família, sempre fez parte da nossa história e o resgate dele é imprescindível para reconstruir valores. Células para um mundo melhor, as famílias são o ponto de partida das nossas sociedades", define a curadora. Foram aplicados diversos materiais e técnicas nas obras, tais como terracota esculpida à mão, elementos têxteis como tapeçaria, além de também contemporâneos como Toy Art. Essa mistura retrata a miscigenação de São Paulo, com suas histórias, estilos e diversas culturas. A "Sala Estação Tiradentes" fica na área paga da estação e a entrada é gratuita para os usuários do Metrô.
Curadoria: Francesca Alzati
Patrocínio: Banco Safra
Realização: Governo do Estado de São Paulo - Secretaria da Cultura - Secretaria dos Transportes Metropolitanos - Museu de Arte Sacra - Associação Museu de Arte Sacra de São Paulo (SAMAS)
ESPELHO TARKOVSKI ESPELHO TARKOVSKI Estação Santa Cruz - de 10 a 31 | Vitrine Lasar Segall Em homenagem aos 30 anos da morte do importante cineasta russo Andrei Tarkovski, serão exibidas 21 imagens fotográficas dos principais longas do diretor, como Solaris, O Espelho, Stalker e Nostalgia.
Para o diretor o significado do cinema é "justapor uma pessoa a um ambiente ilimitado, confrontá-la com um número infinito de pessoas que passam perto e longe dela, relacionar uma pessoa ao mundo inteiro".

Realização: Museu Lasar Segall - Metrô de São Paulo
ARQUIVO NO TRIANON-MASP ARQUIVO NO TRIANON-MASP Estação Trianon-Masp - de 01 a 31 - Vitrine do Masp Em sua terceira edição, o programa Arquivo no Trianon-Masp exibe duas imagens históricas. Uma das fotografias, pertencente à Biblioteca e Centro de Documentação do MASP, é a "Vista da exposição Cem obras-primas de Portinari, com expografia de Lina Bo Bardi [View of the exhibition One Hundred Masterpieces by Portinari, with exhibit displays by Lina Bo Bardi], MASP, 1970; e a outra pertencente ao acervo do Instituto Moreira Salles é a "Vista da exposição A mão do povo brasileiro, projeto de Lina Bo Bardi [View of the exhibition The Hand of the Brazilian People, project by Lina Bo Bardi], MASP, 1969; fotografia [photography] Hans Gunter Flieg/Acervo Instituto Moreira Salles".
Realização: Metrô de São Paulo e MASP - Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand
CAIO, MON AMOUR CAIO, MON AMOUR Estação República - de 01 a 31 - Museu da Diversidade Sexual O Museu da Diversidade Sexual, equipamento cultural do Governo do Estado de São Paulo, inaugura a exposição "Caio, Mon Amour", uma homenagem à vida e obra do autor Caio Fernando Abreu.
Além de fotos e textos de Caio e uma linha do tempo com sua vida e obra, a exposição conta ainda com uma série de atividades interativas, como poemas destacáveis de autoria dele para os visitantes levarem de recordação ou presentearem alguém. Também fazem parte da mostra: um mimeógrafo - no qual poderão ser impressos poemas do autor - e uma máquina de escrever antiga, com a qual o público poderá produzir seus próprios poemas, bem como uma parede com palavras em ímãs, com as quais poderão ser criados poemas temporários.
"Caio, Mon Amour" conta ainda com ensaios fotográficos de Marina Novelli inspirados em contos de Caio Fernando Abreu, além de projeções de trechos de um filme sobre o poeta. Dentro do museu será feita uma ambientação de boate dos anos 80, na qual ficarão dependurados poemas de Caio.

Curadoria: Paula Dip
Expografia: Zol Design
Execução: APAA / Museu da Diversidade Sexual
Realização: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Mostras Fixas
O METRÔ E SEUS BAIRROS IPIRANGA:
O BAIRRO DO GRITO!
Estação Alto do Ipiranga Apoio: Adhemir Fogassa Maquetes
Realização: Metrô de São Paulo
O METRÔ E SEUS BAIRROS SANTO AMARO Estação Largo Treze Realização: Metrô de São Paulo
O Bonde em Santo Amaro Estação Adolfo Pinheiro Realização: Metrô de São Paulo